Faculdade de Fonoaudiologia Vitória, Espírito Santo

Faculdade de Fonoaudiologia em Vitória. Encontre aqui telefones e endereços de instituições de ensino, faculdades e universidades em Vitória que oferecem dicas e informações sobre Faculdade de Fonoaudiologia.

Unices
(27) 3223-9100
Avenida Vitória 800
Vitória, Espírito Santo
 
Faculdade Cândido Mendes de Vitória
(27) 3315-4280
Avenida Leitão da Silva 2055
Vitória, Espírito Santo
 
Escola Lacaniana de Psicanálise de Vitória
(27) 3324-0268
Rua Neves Armond 210 s 301
Vitória, Espírito Santo
 
Faculdade Metropolitana de Vitória
(27) 3315-0006
Avenida Nossa Senhora da Penha 1365
Vitória, Espírito Santo
 
Instituto Federal de Educação Ciência e Tecnologia do Espíri
(27) 3331-2100
Avenida Vitória 1729
Vitória, Espírito Santo
 
Emescam - Escola Superior Ciências Santa Casa de Misericórdi
(27) 3235-7482
Avenida Nossa Senhora da Penha
Vitória, Espírito Santo
 
Seminário Bíblico de Vitória
(27) 3324-3618
Rua Ferreira Coelho 34
Vitória, Espírito Santo
 
Faesa Pos Graduação
(27) 3421-0100
Avenida Vitória 2100
Vitória, Espírito Santo
 
Univix Faculdade Brasileira
(27) 3335-5666
Rua José Alves 301
Vitória, Espírito Santo
 
Instituto de Filosofia e Teologia da Arquidiose de Vitória
(27) 3223-1829
Rua Cosme Rolim 5
Vitória, Espírito Santo
 

Fonoaudiologia

Será que me identifico com Fonoaudiologia? É a ciência que se ocupa da pesquisa, da prevenção, do diagnóstico, da habilitação e reabilitação da voz, da audição, da motricidade oral, da leitura e da escrita. O fonoaudiólogo cuida das questões ligadas à comunicação oral e escrita. Ele trata deficiências de fala, audição, voz, escrita ou leitura. Pode atuar em parceria com fisioterapeutas, otorrinolaringologistas, neurologistas e psicólogos. Com dentistas, trata de males que podem causar ou agravar problemas ortodônticos, como vícios de mastigação e deglutição. Auxilia profissionais que utilizam a voz, como cantores e atores. Pode trabalhar em clínicas, consultórios, escolas, hospitais e emissoras de televisão. Para exercer a profissão é preciso registrar o diploma no Conselho Regional de Fonoaudiologia.O mercado de trabalhoA lei de 2008 que obriga os convênios médicos a cobrir no mínimo seis sessões de fonoaudiologia por ano para seus segurados ainda provoca um bom reflexo no campo de trabalho para esse profissional. Fora do eixo Rio-São Paulo, onde se concentra a maioria dos egressos, há boas perspectivas para quem quer ter consultório próprio. Em cidades de médio e grande portes, maternidades contratam o especialista em audiologia, para a realização de testes de audiometria em recém-nascidos, e em motricidade oral, a fim de ajudar os bebês com dificuldade de sugar o leite materno. Em hospitais de todo o país e empresas de home care, ele auxilia pacientes com problemas de respiração, mastigação, deglutição e fala. "Crescem também nas capitais e cidades de porte médio as oportunidades para trabalhar em empresas que vendem aparelhos auditivos ou realizam exames de audição complexos", assinala Simone Rocha Hage, coordenadora do curso da USP, de Bauru. Além da adaptação aos aparelhos auditivos, o fonoaudiólogo auxilia idosos na adaptação às próteses dentárias. Há procura do especialista por profissionais que necessitam de boa dicção, como locutores, executivos, oradores, músicos, atores e políticos, que aprendem a entonação e a impostação corretas da voz. O mesmo acontece nas empresas de telemarketing que utilizam técnicas de preservação da voz e da audição de seus funcionários. Em março de 2010, a Fonoaudiologia Escolar-Educacional foi reconhecida como especialidade pelo Conselho Federal de Fonoaudiologia (CFFa). Com isso, aumentam as chances de trabalho em escolas particulares de educação infantil e fundamental, nas quais o formado acompanha o desenvolvimento de linguagem e de ensino da língua portuguesa. Cidades do interior do país têm carência desse especialista: a maioria concentra-se nas grandes capitais. No interior, ainda há demanda de profissionais para compor os quadros dos Núcleos de Apoio à Saúde da Família (Nasf). Também há campo para atuar como perito em processos judiciais entre empregador e empregado por perdas auditivas relacionadas a ruídos no ambiente de trabalho e na realização de exames admissionais e demissionais em empresas. Salário inicial: R$ 900,00 (fonte: Sindicato dos Fonoaudiólogos do Rio de Janeiro).O cursoO currículo inclui disciplinas de diversas áreas do conhecimento. Das Ciências Biológicas e da Saúde, o aluno estuda anatomia, fisiologia, genética e patologias. Das Ciências Sociais e Humanas, os futuros fonoaudiólogos veem psicologia, pedagogia e ética. Boa parte da formação, no entanto, é voltada para os conteúdos específicos da profissão, como audição, linguagem oral e escrita, fala e prevenção, avaliação, diagnóstico e tratamento dos distúrbios da comunicação. Há, ainda, aulas de física acústica e metodologia da pesquisa. No final da graduação é preciso fazer um estágio, bem como apresentar uma monografia. Duração média: quatro anos.O que você pode fazerAudiologiaDiagnosticar e prevenir problemas de audição, realizando testes e elaborando programas de redução de barulho em fábricas. Selecionar e adaptar aparelhos para correção de problemas auditivos.LinguagemPrevenir e tratar distúrbios como gagueira, troca de letras na fala e na escrita e retardo de linguagem. Trabalhar com comunicação suplementar ou alternativa, auxiliando crianças com dificuldade de aprendizado da linguagem e adultos vítimas de acidente ou doença grave que afetam a comunicação oral.Motricidade oralPesquisar, avaliar e tratar problemas relacionados com a sucção, a deglutição, a mastigação, a respiração e a fala. Trabalhar com aperfeiçoamento dos padrões de fala e estética facial.VozAplicar técnicas para o aperfeiçoamento da articulação, respiração, entonação e pronúncia de profissionais que utilizam a voz em suas atividades, como atores, locutores, apresentadores de TV e políticos. Avaliar, prevenir e tratar problemas como rouquidão, sequelas de tumores e alteração no tom da voz.