Faculdade de Engenharia Florestal Canoas, Rio Grande do Sul

Faculdade de Engenharia Florestal em Canoas. Encontre aqui telefones e endereços de instituições de ensino, faculdades e universidades em Canoas que oferecem dicas e informações sobre Faculdade de Engenharia Florestal.

Faculdade Unilasalle
(51) 3476-8500
Avenida Víctor Barreto 2288
Canoas, Rio Grande do Sul
 
Uniritter Centro Universitario Ritter dos Reis
(51) 3464-2000
Rua Santos Dumont 888
Canoas, Rio Grande do Sul
 
Faculdade Sao Francisco de Assis
(51) 3326-1212
Avenida Presidente Franklin Roosevelt 770
Porto Alegre, Rio Grande do Sul
 
Sajupi
(51) 3062-0215
Rua Dom Diogo de Souza 272
Porto Alegre, Rio Grande do Sul
 
Sbme - Sociedade Brasileira de Medicina Estética
(51) 3222-6008
Rua Câncio Gomes 768
Porto Alegre, Rio Grande do Sul
 
Ces Centro de Estudos Sintagramaticais do Ipuc
(51) 3466-0262
Avenida Guilherme Schell 5000
Canoas, Rio Grande do Sul
 
Comunidade Evangelica Luterana Sao Paulo
(51) 3473-0886
Rua Padre Claret 483
Esteio, Rio Grande do Sul
 
Uniritter Centro Universitario Ritter dos Reis
(51) 3230-3333
Rua Orfanotrófio 555
Porto Alegre, Rio Grande do Sul
 
Iergs
(51) 3019-3311
Praça 15 de Novembro 16 - 4
Porto Alegre, Rio Grande do Sul
 
Unisinos - Universidade do Vale do Rio Sinos
(51) 3273-4560
Rua Saldanha Marinho 199 ap 804
Porto Alegre, Rio Grande do Sul
 

Engenharia Florestal

Engenharia Florestal é a carreira ideal para você? É o ramo da engenharia voltado para o estudo e o uso sustentável de recursos florestais. O engenheiro florestal avalia o potencial de ecossistemas florestais e planeja seu aproveitamento de modo a preservar a flora e a fauna locais. Ele pesquisa e seleciona sementes e mudas, identifica e classifica espécies vegetais e procura melhorar suas características, analisando as condições necessárias a sua adaptação ao ambiente. Elabora e acompanha projetos de preservação de parques e de reservas naturais e cuida de fazendas de reflorestamento. Recupera áreas degradadas, cuida da arborização urbana e avalia o impacto ambiental de atividades humanas em uma área. Esse engenheiro também efetua vistoriais, perícias e avaliações, emitindo laudos e pareceres. Em sua atuação, visa a segurança e os impactos socioambientaisO mercado de trabalhoO novo Código Florestal brasileiro foi aprovado em julho de 2010 em meio a bastante polêmica. Isso mostra a importância crescente das discussões em relação à preservação e ao manejo florestal. Devem aumentar as oportunidades para o engenheiro florestal, que pode dar assistência e desenvolver projetos para adaptar as propriedades rurais à nova legislação. Órgãos como Ministério do Meio Ambiente, Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio) e o Instituto Estadual de Florestas (IEF) de Minas Gerais realizam concursos frequentes para a contratação desse profissional. Empresas privadas que prestam serviços para o governo também necessitam dessa mão de obra especializada. Quem atua nas áreas de ecologia aplicada e de manejo florestal vem sendo solicitado nos últimos anos por empresas de reflorestamento e por produtores rurais que fazem o plantio de florestas para fins comerciais. "Cresce muito o número de proprietários de terra que antes só investiam nos setores agrícola e pecuário e hoje destinam parte das terras ao plantio de eucalipto, contratando esse engenheiro para viabilizar o projeto", explica Soraya Alvarenga Botelho, coordenadora do curso da Ufla, em Minas Gerais. Os postos de trabalho estão concentrados, sobretudo, nos estados do Sul e do Sudeste, com destaque para Minas Gerais, que possui extensas áreas de reflorestamento, abrindo boas oportunidades para esse engenheiro. Cresce também a procura na Região Norte, que tem o desafio de se desenvolver de maneira sustentável. Nas indústrias de base florestal, em especial nas de papel e celulose, de móveis, de compensado e de carvão, aumenta a procura pelo especialista em tecnologia de produtos florestais. Outros nichos que vêm se expandindo são o comércio de produtos florestais, a gestão de viveiros florestais e a coleta, o estoque e a transformação do lixo urbano e industrial. Prefeituras de todo o país buscam esse graduado para cuidar da arborização urbana. O profissional pode atuar ainda de maneira empreendedora, como assessor técnico de ONGs ou abrindo empresa de produção de mudas e vendas de sementes. Salário inicial: R$ 3.060,00 (6 horas diárias; fonte: Crea-SP). O cursoAs ciências agrárias e biológicas estão presentes em todo o currículo, com destaque para as disciplinas que envolvem botânica, tecnologia da madeira, fisiologia vegetal, biologia celular e silvicultura. Mas o forte do curso são as técnicas e os métodos de uso racional das matas que não comprometam o ecossistema. Nessa área, as disciplinas teóricas - como conservação de recursos naturais renováveis - alternam-se com práticas de manejo florestal, ecologia aplicada em campo, atividades em laboratórios e viveiros. O estágio é obrigatório, bem como um trabalho de conclusão de curso. Duração média: cinco anos. Outro nome: Eng. de Florestas Tropicais. O que você pode fazerEcologia aplicadaEstudar e administrar parques e reservas florestais e gerenciar processos de exploração que preservem os recursos naturais. Recuperar áreas degradadas.EducaçãoRealizar atividades em educação ambiental e ecoturismo.FiscalizaçãoSupervisionar empresas que utilizem produtos de origem florestal como termoelétricas a carvão, indústrias que utilizem lenha e siderúrgicas.Manejo florestalElaborar, promover e supervisionar projetos de reflorestamento das espécies arbóreas para aumentar sua produtividade. Pesquisar sementes e o melhoramento genético da vegetação.Tecnologia de produtos florestaisPesquisar e desenvolver tecnologias para o aproveitamento, a extração e a industrialização de madeiras e de outros produtos da floresta, como óleos essenciais e resinas.